É do conhecimento de todos que nós, mulheres, nos interessamos por assuntos relacionados à beleza. Prova desse interesse é a procura por revistas femininas, programas diários na TV e a busca na internet por vídeos e blogs que ensinam e dão dicas. E assim caminha rápido o universo feminino.

E no grande desejo de estar dentro do padrão de beleza já estabelecido, grandes esforços são feitos. Gasta-se tempo, dinheiro – às vezes arrisca-se perder a saúde – e ainda assim não alcança a satisfação.

É crescente o número de mulheres que se submetem a cirurgias plásticas e tantas outras que gostariam de mudar aqui e ali, só não fazem porque não têm condições financeiras.

Nada contra as mudanças e o desejo de se sentir bem, mas me assusta o tamanho da insatisfação que elas têm e o que são capazes de fazer pela aparência. Será que o que veem no espelho é tão ruim assim?

Afinal, o que realmente é bonito na mulher?

Gostaria de falar de uma beleza que o tempo não rouba, que o cartão de crédito não compra, que não se recebe no DNA, mas está totalmente acessível para aquelas que investem muito além do que é físico para serem realmente bonitas.

Sugiro que leia até o final essa pequena lista que tem tornado mulheres de todas as idades feias e deselegantes, apesar de tanto investimento na beleza.

Não vai adiantar muito a busca pelo certo e errado da moda e da maquiagem quando não sabe o certo e errado do comportamento e da vida.

Falar palavrões: se eles fossem bons, certamente não precisariam ser censurados na TV, o que também pouco adianta, já que estão em toda parte na boca de quem não consegue uma forma melhor de se comunicar;

Falar e rir alto: além de ser indiscrição, incomoda demais o ambiente; é uma forma negativa de ser ouvida e vista;

Mascar chicletes: quando você fala a palavra mascar, parece que já está ouvindo aquele barulho irritante de alguém mascando sem parar – tem os que fazem até bolinhas. Totalmente compreensível para uma criança ou adolescente, mas uma mulher que quer ser elegante, não é recomendado;

Não tem postura para andar e sentar: não adianta copiar o modelo de roupa da princesa, se na hora de se sentar mostra mais do que devia, deixa as alças do sutiã à mostra, decotes enormes….

Ser mandona e autoritária: mulheres assim tendem a anular as demais pessoas. Só interessa o que ela pensa, acha ou quer, e o fim disso é ficar só e infeliz;

Desatualizada: o mundo tem mudado rápido demais. No tempo de nossos pais, alguém encomendava um trabalho para o mês seguinte. Hoje, as pessoas dizem “para ontem”, este é o melhor prazo. Mas, existem mulheres que não tentam acompanhar as mudanças, insistem em ficar no século passado, se orgulham em dizer que não sabem isso ou aquilo, contam sem vergonha que não tem nem e-mail. Isso não é legal!

Dependentes dos outros: são inseguras para tomar decisões, nunca sabem fazer nada sozinhas, normalmente; colocam as suas responsabilidades sobre outros;

Sem conteúdo: não gostam de ler, se informar e não investem na sua inteligência. O que elas dizem não vale a pena guardar, pois não acrescenta nada, infelizmente;

Fraca e sensível: que adianta ser uma mulher linda, mas frágil como uma porcelana? Basta uma palavra um pouquinho mais dura que faz bico, chora…Quem aguenta?

Bem, essa lista que sabota a beleza feminina ainda pode crescer muito, não é? E quem sabe você se viu errando em alguma coisa?

Calma, se chegou até aqui, por que quer mudar? Desejo acompanhado de atitude e disciplina é tudo que se precisa para ser uma mulher forte e elegante, incapaz de fazer feio até nas situações mais difíceis. Ah, e claro o aprendizado nunca termina, continue firme no seu desafio!