logo

2 de abril de 2017

Amor verdadeiro

 Acredito que o amor traz mais felicidade que o dinheiro. Eu preferia mil vezes está sentada numa calçada com o amor dá minha vida, do que tá cheia de dinheiro! Nada pode comprar a paz de espírito e o amor verdadeiro... O dinheiro é uma consequência do nosso trabalho jamais deve ser adorado ou priorizado na vida de um ser humano. Eu poderia ter priorizado muitas coisas nesses meus vinte e quatro anos, ontem estava falando com Deus e me perguntando sobre as coisas que eu tinha feito até hoje, posso dizer que fiz escolhas certas e erradas, e que outras foram condições mesmo... Pois eu não pude fazer nada. Nunca conheci uma mulher como eu, batalhadora, guerreira, que busca seus ideais e corre atrás de oportunidades... Chega um tempo que a gente cansa de nós mesmas, as vezes me pergunto quando vai acabar, quando vou conquistar minha liberdade e minha independência. Vejo pessoas na minha família que tem tudo, mais não quer nada com a vida! Tem quase trista anos, é formada, tem várias experiências no mercado de trabalho, mais não quer trabalhar e conquistar sua independência. Tudo fruto dá preguiça, pessoas que são preguiçosas nunca querem acordar cedo para ir em busca de alguma coisa, não tem respeito de ninguém, nunca é levada a sério, ela sabe que é capaz, mais prefere ficar deitada na sua cama conversando no Whatts App, e vendo imagens no Pinterest.

 O ser humano tem necessidades básicas, a gente precisa se alimentar, se vestir, ter um lugar aonde morar, sair e etc... Mais para conquistar tais coisas é preciso um trabalho, estudar, e se capacitar em uma profissão que goste, que sinta prazer em está exercendo aquela profissão, e daí então venha trazer a felicidade financeira. Quando comecei a estudar tinha aproximadamente sete anos, comecei tarde, não gostava de estudar, era como se estivesse esmagando a minha cabeça. Me achava incapaz de conseguir escrever, ler, fazer cálculos, pois era violentada em casa. Quando eu chegava a escola já começava a chorar, minha mãe me batia muito por causa das notas baixas, como ela era professora dá escola onde eu estudava, era só acontecer alguma coisa me envolvendo na sala de aula, que a professora já ia correndo chamar minha mãe, e ela me batia na frente de todo mundo. A minha maior dificuldade era de escrever de um a trezentos, eu fazia a quarta série. Minha mãe me ensinava em casa, ficava de castigo no quarto para aprender a tabuada, o único problema era que ela ensinava do jeito dela, e o jeito dela você já deve imaginar como era.

 Ninguém aprende alguma coisa apanhando, ou sendo espancado pelos outros, nada deve ser imposto. As vezes me pergunto como cresci sendo uma pessoa tão doce, e tão diferente de como fui tratada e educada, sempre com muita amargura, raiva e ódio. Nem por isso eu me tornei uma capetinha, sempre fiz minhas coisas sozinha, sem ajuda de ninguém, foram poucas as pessoas que me ajudaram a chegar em algum lugar. Eu não via a hora de crescer e ser dona do meu próprio nariz, queria casar e ter o amor que eu nunca tive, queria ser amada! Quando criança já pensava em namorar e em casar, eu deitava na cama pensando como seria ter um marido. Como seria ser amada por um homem, ser uma dona de casa. Eu sabia que tinha problemas, mais nunca pensei que isso afetaria na minha vida adulta. Todo mundo fala de influência, se você foi influenciada a algo, você vai ser exatamente daquele jeito, só que não foi o que aconteceu comigo, por que eu não deixei me influenciar.

 Falando em influencia, quando entrei no ensino médio tinha muitos colegas de sala que usavam drogas. Eles usava até dentro dá sala de aula, e na hora dá aula, todo mundo sabia o que estava acontecendo, menos eu. Muitas vezes a gente se juntava para matar aula, se eu não tivesse afim de estudar, nenhuma das minhas amigas ficariam para assistir aula, podemos dizer que eu influenciada muita gente naquela época, até mesmo as meninas de outras turmas. A gente se juntava e ia até a praça que tinha atrás dá escola para jogar conversa fora, e fazer bagunça... Foram muitas as ofertas de drogas feitas a mim, me ofereciam de tudo, sem falar de bebidas alcollicas, e aventuras sexuais, e eu nunca aceitei, ou me deixei influenciar. Eu sabia que aquilo era errado, também nunca tive vontades de usar essas coisas, e nem de sair vadiando por aí, mesmo não sendo cristã eu tinha a cabeça no lugar. Se fazia algo de errado, fazia por que queria, e tinha consciência dos meus atos.

 A minha vida toda eu busquei ser amada de verdade, eu poderia ter namorado muitos garotos. Mais eu sempre fui uma garota muito seletiva na minha adolescência, não queria beijar só por beijar, não queria fazer sexo sem compromisso. Nunca tive interesse em beijar um cara que eu não sentisse nada por ele, eu tinha que ter a certeza que aquele homem me faria bem de alguma forma. Que ele fosse me respeitar, e que sempre estaria do meu lado. Nunca pensei em curtir, e muitas vezes me bateu um arrependimento de ter sido tão autoritária. Um beijo pode não significar nada pra você, mais para mim tem um grande valor, quando você não conhece bem uma pessoa, e não sabe nada sobre a sua vida, você está disposta a qualquer coisa. Vai que você beija um homem com peneumonia, ou tuberculose... Já pensou no estrago? Eu jamais colocaria minha saúde em risco por um beijo de um estranho, sem falar daquelas feridas na boca que muitos beijoqueiros tem.

 Pra mim amor de verdade não enxerga classe social. O que enxerga classe social é vaidade e vaidade não enxerga o outro, só a si mesmo. O amor de verdade tão pouco enxerga religião ou ideologia política, ele simplesmente transcende qualquer limitação imposta pela sociedade! Então ame! O amor verdadeiro não é o perfeito é o que reconhece o erro e faz de tudo pra não cometer mais, são os dispostos que fazem dá certo.

 Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele. Dessa forma o amor está aperfeiçoado entre nós, para que no dia do juízo tenhamos confiança, porque neste mundo somos como ele. No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. (1 João 4:16-18)
                     
 O amor deve ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom. Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a vocês. (Romanos 12:9-10)
                     
 Esta é a mensagem que vocês ouviram desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. (1 João 3:11)