logo

4 de março de 2017

O empreendedorismo das igrejas

 As novas "igrejas" são um produto do capitalismo em que vivemos, ou seja, fazendo de Deus uma mercadoria sua venda se torna fácil, por meio de simples artifícios de marketing. O "Deus" produzido no capitalismo não difere muito de nenhuma outra mercadoria, pois ele me é útil enquanto eu gosto, enquanto faz "milagres" e produz prazer. Acabando essa relação de uso e gozo, aparece o desejo por outra mercadoria, mais nova, mais moderna e que faça tudo o que a outra faz, porém de maneira mais rápida, tecnológica e moderna. Assim, vemos as peregrinações de consumidores das religiões, "pulando de galho e galho", sempre em busca de uma mercadoria que resolva o problema atual de sua existência, enquanto que o Deus verdadeiro é tratado como importuno.

 Acho estranho uma pessoa frequentar uma igreja e não contribuir com nada! Eu por exemplo, chego a igreja e uso o banheiro, uso o papel do banheiro, uso o papel toalha para secar as mãos, sou ungida com azeite, recebo o pão como corpo de Cristo e o suco de uva como sangue na santa ceia... É justo eu não contribuir nos dízimos e ofertas? Há não ser que a pessoa leve o suco de uva, o pão, o azeite e o papel higiênico... Aí com certeza o seu dinheiro "materializado" não vai para as mãos do pastor... Se você não quer que o seu dinheiro vá para outros fins como salários de pastores e funcionários dá igreja, oriento que o seus dízimos e ofertas seja contribuído com algo material que a instituição precise, mais nunca deixe de fazer algo que prove sua fé diante de Deus.

 Esses três anos de conversão a fé cristã, vi muitas pessoas chegarem a igreja para resolver os seus problemas espirituais, financeiros e principalmente de saúde... O mais engraçado nisso tudo é que as pessoas só procuram a Deus quando estão no fundo do poço ou cheias de problemas... Deus só é lembrado no momento dá dor é dá necessidade, mais nunca na alegria, na felicidade, nos dias bons. As pessoas querem resolver os seus problemas mais não querem se entregar para Deus e obedecer os seus mandamentos...

 Confesso que antes de conhecer a Deus eu tinha uma fé estagnada, era exatamente assim, só lembrava dele nas tribulações, nas dificuldades e nunca nos momentos bons... Só falava com ele antes de dormir, era como se fosse uma obrigação, ou eu falava com Deus, ou eu tinha muitos pesadelos e ficava com a consciência pesada por não fazer aquelas rezas e preces, sempre pedindo alguma coisa e nunca agradecendo por nada que ele fazia na minha vida... Eu queria conhecer a Deus, desde criança eu perguntava aos meus pais para onde eu iria se eu morresse, o que Deus achava de mim? Não sabia qual era a diferença entre Deus e Jesus, ouvia falar mais não sabia que Jesus foi um homem que esteve na terra e passou as mesmas tribulações que nos, e venceu todas elas é claro! Era como se fosse tudo a mesma coisa, pra mim tudo levava a Deus, eu não sabia o que era o espírito santo, e só lia o livro do apocalipse dá Bíblia...

 Eu sei que no fundo eu tinha fé! Eu queria ser usada por Deus mais não sabia como, conheci a Deus através dos problemas que eu tinha para dormir, insônia, medo, traumas... Foi quando Deus me chamou e plantou uma semente no meu coração, semente essa que está se desenvolvendo, e a cada dia que passa ele me ensina algo novo, responde minhas orações, fala comigo através de várias situações do dia a dia, sempre que estou com alguma dúvida sobre algo olho para o céu e pergunto a Deus a resposta, o que ele acha, o que é melhor para mim... E ele sempre responde "quando é de coração e verdadeiro" falo com Deus o que tem dentro de mim e não fico tentando convencer ele de nada, ele é o meu pai e me conhece mais do que eu mesma. Quanto ao senhor Jesus, ele é santo e intercessor, sempre quando falo com Deus falo em nome do Senhor Jesus e Deus atende, e dá tudo certo.

 É só ter fé! Deus não precisa de dinheiro e nem de grandes sacrifícios materiais, ele só quer a nossa alma e a nossa obediência, o amor e o temor incondicional por ele... Não precisa ficar enchendo o homem dá instituição religiosa de dinheiro não... Principalmente se você sabe que ele é mal caráter e não tem AMOR PELAS PESSOAS... Acho ridículo esses pastores e bispos que tem por aí... Dizendo que quer salvar as almas das pessoas, que quer salvar, converter... Que isso, que aquilo...

 Eles priorizam almas, mais não priorizam vidas, discriminam as pessoas, falam palavrões no púlpito, são grossos e mal educados, não sabem impor a mão sobre a cabeça de uma pessoa e fazer uma oração... Parece que faz tudo pela remuneração, para ser reconhecido e chamar atenção, e ainda tem gente que acredita mais no falso pastor do que na própria bíblia, realmente essas pessoas precisam nascer de Deus de verdade, pois ser crente até o diabo é.

 E eu nem uso esse termo "crente" muito menos "evangélica" me considero cristã, sei dá verdade que existe céu e inferno, diabo e Deus, mais não sou alienada e fanática como 90% é.

 Beijinhos e fiquem na fé! 😁